Na Índia inicialmente eram usadas apenas para fins religiosos, mas rapidamente passou à ser artigo indispensável para indianas.

O Japão e a China usavam estas essências para pulverizar os kimonos ou em saquinhos no pescoço.

Mais tarde a Grécia cria uma nova técnica, emergindo as flores e ervas em óleo e vinho e vamos dizer "sem querer" descobriram a maceração para extrair aromas.

A seguir os romanos, passaram a consumir em diversas situações, como em soleiras de portas, nos convidados, velas, etc.

Agora é a vez dos árabes que inventaram o método da destilação e os instrumentos para fazer a serpentina e o alambique.

E assim com essa breve descrição, finalizamos que os povos de tempos em tempos, foram agregando o uso desta incrível descoberta, sob diversas formas, sendo para perfumaria, saneantes, alimentícios, tornando as essências indispensáveis para os novos tempos.